Publicidade
ad
Compartilhar
Últimos guias
Publicidade
ad

Uma das maiores discussões da internet, quando se trata de FPS, é qual jogo é melhor – o famoso e tradicional Counter Strike ou o novato e inovador VALORANT? Para entender mais sobre esses jogos, vamos passar por sua base, compreender as diferenças e o que os tornam algo de sucesso. No fim, depois de uma análise, vamos dizer, de uma vez por todas, qual é o melhor FPS do cenário.

Jogos de Tiro ou FPS

CS 1.6, um dos maiores FPS da história dos jogos
CS 1.6, um dos maiores FPS da história dos jogos – Fonte: Internet

O termo FPS vem se tornando muito famoso, porém poucas pessoas entendem o que é isso. Muitos associam como qualquer jogo de tiro, porém existem algumas peculiaridades nos diversos jogos que existem. O FPS nada mais é que um jogo de tiro, mas com a câmera do personagem em primeira pessoa. Seria uma forma de simular a visão humana.

Por outro lado, temos o TPS, que seriam os jogos de tiro com uma visão em terceira pessoa. Aquela onde vemos todo o personagem, como se a câmera ficasse no ar. Para exemplificar um pouco melhor, vamos ver alguns jogos que pertencem a cada uma dessas categorias.

No FPS, temos os tradicionais Counter Strike, VALORANT, Call of Duty, Battlefield, Escape from Tarkov e por aí vai. Enquanto que, no TPS, temos alguns jogos como os battleroyales, com o Fortnite, porém temos alguns outros como Far Cry, The Last of Us, Metal Gear e por aí vai.

Neste artigo, vamos falar apenas dos dois principais FPS, Counter Strike e VALORANT. Ambos os jogos são muito conhecidos pelos seus cenários competitivos e uma multidão de fãs. Além disso, são jogos, de certa forma, bem simples, tendo uma barreira de entrada bem baixa. Por conta disso e outros motivos, eles acabam sendo tão populares.

Conhecendo o Counter Strike

CS 2, a nova aposta da Valve em seu FPS
CS 2, a nova aposta da Valve em seu FPS – Fonte: Steam

Então, vamos começar com o Counter Strike. O CS é conhecido por ser o pai do FPS competitivo. Seu estilo de jogo tático foi importante para muitos outros que surgiram nos anos posteriores. Por exemplo, o VALORANT usa o mesmo estilo que o CS, porém, usa de suas peculiaridades para se tornar algo único.

O estilo de jogo do CS se baseia em ataque e defesa. Os jogadores possuem funções diferentes, de acordo com o seu lado. No ataque, os jogadores devem entrar nas regiões e plantar uma C4 e deixar ela explodir. Enquanto, na defesa, os jogadores precisam se defender, para não deixar com que a C4 seja plantada ou desfusar, caso ela seja plantada.

Inclusive, para facilitar a compreensão, o CS adota nomes para cada lado. No ataque, os jogadores são os Terroristas ou TR’s, enquanto que, na defesa, eles são os Contra Terroristas ou CT’s. Inclusive, isso é algo engraçado, pois no VALORANT, muitos têm que tomar cuidado, na hora de dizer ataque e defesa, evitando usar os termos do jogo “rival”.

Outro fator importante é a quantidade de jogadores. Nas partidas tradicionais ou ranqueadas, são cinco jogadores de cada lado, totalizando 10. Existem alguns modos que podem ter mais ou menos, mas eles não entram no caso. Isso faz com o jogo seja bem mais controlado, dando uma determinada função para cada um dentro da partida.

Por exemplo, podem ficar dois jogadores em cada bomb e um na área central, para observar a rotação. Ou até conseguir rotações no mapa, buscando prender os oponentes em pontos estratégicos. São diversas opções que o estilo do jogo consegue entregar em uma única partida.

Uma das coisas mais interessantes de se ver dentro do Counter Strike é a simplicidade do jogo. Sua mecânica é bem simples e objetiva, mas isso acaba sendo o mais importante. Por conta disso, vemos a genialidade dos jogadores. Pois, com tamanha liberdade, temos os jogadores inovando, táticas surgindo. E claro que isso se torna um ponto muito forte dentro do jogo.

O que é o VALORANT?

VALORANT, o primeiro FPS da Riot Games
VALORANT, o primeiro FPS da Riot Games – Fonte: Riot Games

Seguindo a ideia do Counter Strike, temos um dos FPS mais novos no cenário, o VALORANT. Desenvolvido pela Riot Games, o VALORANT chegou no mercado prometendo um foco no cenário competitivo. E realmente foi isso que vimos. Logo no seu primeiro ano, vimos diversos campeonatos acontecendo no mundo todo.

Além disso, a estrutura do jogo era muito amigável, apresentando inovações, mas sem perder a sua base. Assim como o CS, o VALORANT é um jogo de tiro tático, onde cinco jogadores enfrentam outros cinco. Junto a isso, existem os dois lados do jogo, ataque e defesa, com funções parecidas.

Agora, a sua maior diferenciação se encontra na escolha de agentes. Enquanto que no CS não existe distinção em quem escolher, no VALORANT, cada personagem possui uma função diferente. Existem 4 classes de agentes, os Duelistas, Controladores, Sentinelas e Iniciadores. E, cada um dos agentes, possuem 3 habilidades básicas e mais uma ultimate.

De uma forma bem simples, imagine que os utilitários que eram comprados no CS, agora são habilidades no VALORANT. É claro que existem algumas peculiaridades, como o teleporte do Omen, dash da Jett, veneno da Viper e até a câmera do Cypher. Até porque, se não existisse isso, não teria motivos para tantos agentes.

Atualmente, no fim de 2023, existem 23 agentes, sendo 7 duelistas (Jett, Raze, Phoenix, Reyna, Neon, Yoru e Iso), 6 iniciadores (Sova, Breach, Skye, Fade, Kay/O e Gekko), 5 controladores (Brimstone, Omen, Astra, Viper e Harbor) e 5 sentinelas (Sage, Cypher, Killjoy, Chamber e Deadlock).

E a quantidade de agentes aumenta com a medida do tempo, apresentando novas opções dentro de cada um dos mapas. Isso acaba tornando o jogo bem divertido, pois sempre existe algo novo para treinar. Depois de um tempo, com a estabilização do meta, certas composições acabam se tornando padrões, mas a criatividade então muito em jogo.

Uma das maiores reclamações, por parte dos jogadores e fãs, é que determinados mapas seguem um meta estabelecido há muito tempo. A Ascent é o melhor exemplo para isso. Depois que a LOUD definiu que a melhor composição era Jett, Sova, Kay/O, Omen e Killjoy, poucas equipes acabam inovando. Tanto é que, aquelas que tentam algo novo, acabam sofrendo bastante e perdem as suas partidas.

Por conta disso, existe uma rotação de mapa constante, além da reformulação de mapas antigos. Ou seja, sempre existem coisas novas no jogo, para que ele nunca fique parado ou estagnado. Inclusive, essa atitude é algo comum por parte da Riot Games, que faz isso com os seus jogos, como o League of Legends.


LEIA MAIS


Então, depois disso tudo, quem é o melhor?

Então chegamos na derradeira questão, quem é o melhor? Enquanto o CS aposta na tradição, seguindo os conceitos mais antigos, o VALORANT busca inovação e a mudança. Isso acaba criando dois jogos com as mesmas bases, mas com conceitos completamente diferentes. E, com isso, o público, por mais que goste do estilo, acaba tendo certas preferências.

Uma outra forma de analisar os jogos é sobre o seu cenário competitivo. O Counter Strike possui um sistema de campeonato aberto, onde algumas empresas podem fazer o seu próprio torneio, chamando times ou fazendo classificatórias. Isso acaba deixando o calendário bem mais cheio, mas acaba deixando certas regiões enfraquecidas.

Por outro lado, temos o VALORANT, que segue um sistema de campeonato fechado. Todos os torneios oficiais são organizados pela desenvolvedora, Riot Games. Com isso, o calendário acaba sendo mais fechado, com menos campeonatos, mas sem a chance de um acontecer em cima do outro.

Claro que isso agrada todo o tipo de público. Existem jogadores que preferem o que a Riot faz, trazendo mais segurança. Enquanto outros gostam da rotina do CS, com jogo acontecendo a todo momento e em todo o canto do mundo. Isso varia muito da disposição e estilo de cada atleta profissional. Contudo, para finalizar de uma vez por todas, vamos entender porque um jogo seria melhor que o outro.

Já respondendo à pergunta de qual é o melhor jogo, podemos falar que não existe um melhor. Ambos os jogos são importantes para o cenário competitivo e amador. Enquanto o CS segue sua tradição fortemente, mesmo com uma atualização muito grande, com o CS 2, temos o VALORANT buscando inovar.

VALORANT e o seu caos, quando o assunto são habilidades
VALORANT e o seu caos, quando o assunto são habilidades – Fonte: Internet

Ambos são jogos de FPS táticos, que trazem à tona muito mais que uma mira excepcional. Existe todo um talento na leitura do jogo, uso de utilitários e muito mais. Cada jogo são coisas novas para se ver, para se aprender e jogar depois. Muitas pessoas dizem que o CS é um jogo parado, sem muita movimentação, mas que possui toda a sua complexidade.

Por outro lado, o VALORANT é um jogo muito rápido. São diversas as vezes que vemos telas com várias habilidades sendo usadas, ao mesmo tempo, causando um caos na tela do espectador. Ao mesmo tempo, o jogo entrega ao jogador uma complexidade menor, apostando em um alcance maior do público.

Então, para finalizar, ambos os jogos são excelentes, agradando mais o seu público. Você gosta de um jogo mais parado, sem muita coisa na tela? O Counter Strike vai ser perfeito para você. Agora, se você deseja velocidade, poderes e menos dificuldade, o VALORANT poderá te agradar. E, quem sabe, você não aproveite dos dois e veja como ambos, mesmo diferentes, são bem parecidos.